Era um sexo estupidamente bom

expurgar:

Ela conhecia meu corpo inteiro
Como a palma da sua mão
Mas não percebia o frio
que ficava, quando ela, não.
Era um beijo maravilhoso
A língua dela na minha
Parecia furacão, porém
Ela não sabia do meu coração
Daquelas crateras feito a lua.
Ela conhecia todos meus amigos
Não conhecia minha solidão.
Era um sexo estupidamente bom,
Mas pela manhã eu sinto frio,
uma vontade absurda do corpo dela
e um desejo de me dar
à ela que não está mais aqui.


NAVE POÉTICA

©